Blog do Deco Bancillon

Vídeo: não recebeu o valor integral do abono salarial? Saiba por que o PIS veio errado

Benefício de até R$ 1.045 é pago a quem trabalhou de carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2019 e que tenha recebido até dois salários mínimos.

DECO BANCILLON | BRASÍLIA

Este ano, devido à pandemia de coronavírus, o governo decidiu antecipar o pagamento do Programa de Integração Social (PIS) referente ao calendário 2020/2021 para os nascidos entre julho e dezembro. Com a mudança, o dinheiro, que só entraria nas contas a partir do ano que vem, já começou a ser pago desde 30 de junho.

Porém, uma divergência na relação de informações enviadas pelas empresas a diversos órgãos públicos, entre eles o Ministério do Trabalho e a Receita Federal, tem gerado dor de cabeça, reduções no valor do benefício e atrasos no pagamento do abono salarial a milhares de trabalhadores da iniciativa privada.

Tem direito a receber o abono salarial o trabalhador inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente para empregador inscrito no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) por pelo menos 30 dias no ano-base 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

Ao todo serão disponibilizados cerca de R$ 15,8 bilhões para mais de 20,5 milhões de beneficiários até o final do calendário do exercício 2020/2021. Importante lembrar que o abono ficará disponível para saque até 30 de junho de 2021. Quem perder o prazo ficará sem ver a cor do dinheiro, que irá reforçar o caixa do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), fundo que financia obras, o crédito imobiliário e também ações emergenciais do governo.

Confira no vídeo o motivo do benefício ter sido pago menor este ano e saiba o que fazer para requerer o valor integral do PIS em 2020.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments