Blog do Deco Bancillon

Erros que levaram Brasil ao recorde de mortes por coronavírus em 24 horas

Como a história nos mostra, as tragédias são quase sempre resultado de erros que, quando somados, produzem um resultado mortal. Não foi diferente com o Brasil, que passou os EUA em número de mortes diárias e se transformou no segundo país em número total de óbitos pela Covid-19. Confira quais foram os seis principais erros que levaram o Brasil a essa situação.

Hoje, o Brasil bateu outro recorde de mortes pelo coronavírus.

Foram mais 1.349 óbitos em apenas 24 horas.

É uma perda a cada 64 segundos.

Uma família brasileira que se desfaz num intervalo de um minuto.

Em uma situação tão drástica quanto essa, era de se esperar que os governos, todos eles, estivessem mobilizados em busca de uma saída para a crise sanitária.

Em vez disso, estamos discutindo questões como a suposta interferência do presidente Bolsonaro na Polícia Federal e o inquérito das fake news.

Mas, sem sombra de dúvidas, o assunto mais descabido a ser discutido por nós como sociedade no meio da maior pandemia sanitária do século é uma temível ruptura institucional, que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (filho do presidente eleito) disse que é questão de “quando vai acontecer”, e não apenas “se” iria ou não acontecer.

É realmente inacreditável que 30 anos após a redemocratização precisemos refutar arroubos autoritários de quem defende a volta do militarismo e da ditadura no país.

O Brasil de hoje é uma máquina de gerar crises.

São tantas e tão graves que damos a ignorá-las, vivendo um faz de conta na esperança que, sem nada fazer para resolvê-las, elas simplesmente desapareçam.

Só assim para explicar o fato de não termos reagido com veemência à desastrosa nota em que militares da reserva ameaçam uma guerra civil.

No nosso faz de conta diário, damos a adotar o método do avestruz:

Põe-se a cabeça no chão e espera-se, com isso, que todo o mal passe e que, aliviados, possamos enfim nos levantar e seguir como se nada tivesse acontecido.

Foram muitos erros, muitas omissões até aqui.

Nesse vídeo, eu conto o que nos levou a ser o epicentro da pandemia no mundo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.