Blog do Deco Bancillon

Bancos já se preparam para liberar nos próximos dias segunda etapa do Pronampe

Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, as duas principais instituições a operar a linha na primeira etapa do programa, devem retomar a liberação dos empréstimos a partir da próxima terça-feira, 1 de setembro.

Os bancos já estão treinando seus gerentes e ajustando os últimos detalhes de seus sistemas para começar a liberar, a partir da semana que vem, os recursos da segunda etapa de empréstimos concedidos pelo Programa Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Pronampe).

Para essa etapa, os bancos devem liberar cerca de R$ 14,1 bilhões em empréstimos, considerando tanto os recursos do Fundo Garantidor de Operações (FGO, de R$ 12 bilhões), quanto os recursos próprios das instituições financeiras, de R$ 2,1 bilhões.

O Blog Deco Bancillon apurou que tanto o Banco do Brasil quanto a Caixa Econômica Federal, as duas principais instituições a operar a linha na primeira etapa do programa, devem retomar a liberação dos empréstimos a partir da próxima terça-feira, 1 de setembro.

Os repasses dessa segunda etapa do Pronampe só foram possíveis a partir de uma triangulação feita pelo Congresso Nacional com recursos de outro programa criado pelo governo para salvar as empresas durante a crise, o PESE. Como os recursos dessa linha estavam parados, por falta de interesse dos empresários — por uma série de motivos que iam desde burocracias para liberar o dinheiro a pouca vantagem na operação em si –, o Congresso Nacional decidiu destinar a parte excedente desses recursos parados para o Pronampe, que tem sido a principal linha de crédito demandada pelas empresas.

Em resposta ao blog Deco Bancillon, o Ministério da Economia afirmou que todos os trâmites foram concluídos para que o aporte de R$ 12 bilhões do PESE para o PRONAMPE seja efetivado. “Estamos aguardando a publicação da MP do Crédito Extraordinário, que deve acontecer nos próximos dias”, informou o ministério.

A publicação de uma nova medida provisória, permitindo a triangulação dos recursos, é necessária porque os projetos que estavam em tramitação no Congresso e que tratavam de recursos para o combate à crise perderam a validade. No jargão político, significa dizer que as medidas provisórias caducaram. Assim, o governo precisará enviar novamente outra regulamentação, permitindo, assim, o repasse dos recursos, o que deve acontecer entre quinta e sexta-feira, disseram fontes ao Blog.

Em julho, a primeira parcela de recursos disponibilizados por meio do Pronampe, no valor de R$ 18,7 bilhões, se esgotou em poucos dias. Nesse período, os bancos que se habilitaram para atender ao programa foram: Banco do Brasil, BANCOOB (SICOOB), BADESUL , BASA, BDMG, BNB, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e SICRED.

Havia a expectativa que Santander e Bradesco também operassem a linha. No entanto, até o momento, essas instituições financeiras não informaram se irão ou não participar do programa. Outro banco privado que participou da primeira etapa, o Itaú, já avisou que não deve participar da segunda leva de empréstimos concedidos pelo Pronampe.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.